Academia

Emoção e reflexão para o futuro na Bênção das Pastas da Queima das Fitas 2022

"Na vida académica há muitos momentos, variados, mais festivos ou desportivos. Mas este aqui é mais voltado para a reflexão interior", lembrou o Bispo de Coimbra, Virgílio Antunes. "Este dia é uma marca muito forte para as pessoas".

19 june, 2022≈ 3 min read

© UC | Marta Costa

Os estudantes da Universidade de Coimbra (UC) regressaram à Sé Nova para mais um passo na caminhada académica. O domingo, 19 de junho, pela manhã, recebeu as largas centenas de estudantes para a celebração de mais uma Bênção das Pastas da Queima das Fitas.

Com as fitas ainda fechadas nas pastas, os estudantes foram entrando na Sé Nova de Coimbra, para os locais assinalados, por faculdade, enquanto muitos familiares e amigos ficavam no Largo da Feira dos Estudantes, onde foi possível assistir à cerimónia através de um écrã gigante. "Somos hoje uma multidão imensa que aqui se reúne. E é uma assembleia assim reunida que nos dá uma ideia maior do sentido que tem a Humanidade", referiu o Bispo da Diocese de Coimbra, Virgílio Antunes.

Para o Bispo de Coimbra, é importante que os finalistas "não fiquem a sonhar com o que seria se vos tivessem sido dadas outras condições". "Aquilo que são e o que querem ser no tempo que vos é dado ser" é o importante, para Virgílio Antunes. Durante a Bênção das Pastas 2022, o Bispo de Coimbra quis sublinhar que "as possibilidades" são infinitas, desde que "se dediquem a causas humanas e boas".

"A mensagem é que [os estudantes] têm uma responsabilidade acrescida na vida da sociedade por terem tido as possibilidades de formação que tiveram, concretamente, na Universidade de Coimbra. E alguns vão ter mesmo um responsbilidade muito grande no contexto social, em Portugal e no estrangeiro", sublinhou Virgílio Antunes. "Estes jovens, com corações grandes e cheios de valor, que fizeram um crescimento humano adequado, podem revolucionar o mundo em que nós vivemos. É deles que podemos esperar essa mudança e essa revolução. São eles que vão ser capazes de mudar o mundo", acrescentou o Bispo de Coimbra.